DIA

Buscando a notícia para você desde 2007 - Região dos Lagos - Ano 2017 -

Colunista Ariel Villanova - Quadro Rádio Ondas FM - Notícias das Redes Sociais de 07 de Junho

A greve dos caminhoneiros já acabou, mas as correntes sobre ela continuam a circular pelas redes sociais. 

Uma delas alerta para o perigo de consumir carne estragada, algo que supostamente deveria ser evitado pelos brasileiros neste primeiro momento.

“Amigos, o marido de nossa conhecida é motorista de caminhão de um distribuidor para supermercados grande. Ele disse que ninguém deve consumir carne depois que a greve acabar pois os baús estão cheios de carnes descongeladas”, afirma a mensagem. 

Para manter o aspecto das carnes estragadas, os responsáveis aplicariam alguns produtos químicos, como formol, soda cáustica, vinagre industrial e corante de urucum. “[Depois seriam] novamente reembaladas e recongeladas de novo e vão para consumo”, conclui o "alerta". 

FALSO: produtos químicos não recuperam nem maquiam carnes estragadas A corrente é puro alarmismo. 

Especialistas ouvidos pelo UOL disseram considerar as informações passadas absurdas e inviáveis. “É impossível de a carne ser colocada à venda se estiver deteriorada. Deu problema na validade ou descongelou, é descartada, não tem como comercializar”, afirma ao UOL o porta-voz Abrafrigo (Associação Brasileira dos Frigoríficos). 

“Não há produto no mundo que tire o aspecto de podre.” O químico Rogério Aparecido Machado, professor da Universidade Presbiteriana, concorda. “Depois que apodreceu, não tem o que fazer. Não adianta congelar, não volta a ser o que era. Pelo contrário: fica até pior”, afirma o acadêmico. De acordo com Machado, especialista em saúde pública, colocar produtos químicos, na verdade, só dificulta o processo de congelamento, mesmo para peças boas. 

“O sal, por exemplo, muda a temperatura de congelamento da água. Com outros produtos, funciona do mesmo jeito”, explica. 

O químico chamou de “folclore” os produtos citados pela corrente. 

“Falar em soda cáustica é de dar risada, já que ela decompõe qualquer coisa e é usada para limpar privadas. Formol deve ser que estão confundindo com cadáver”, afirma Machado. 

“Esse produto é usado para conservar peças em aulas de anatomia para que os alunos sintam a textura da carne, mas para nós o cheiro é completamente insuportável, além de o consumo fazer mal.

” Por meio de nota enviada ao UOL, o Dipoa (Departamento de Inspeção de Produtos de Origem Animal), do Ministério da Agricultura, afirmou que não recebeu relatos ou denúncias sobre os casos presentes na corrente divulgada por aplicativos de mensagens. 

“Existiu um alarmismo muito grande em torno dessa história”, afirma o porta-voz da Abrafrigo. “Os caminhões deram as cargas como perdidas. O que está vindo ao consumidor agora é tudo carga nova.” 
De acordo com a associação, os frigoríficos brasileiros deixaram de contabilizar cerca de R$ 4,5 bilhões durante a greve.

BRIGA NA NOVELA DEUS SALVE O REI

A atriz Bruna Marquezine repercutiu uma nota que foi muito comentada na web e nas redes sociais durante esta quarta-feira (06). A situação é referente à cena da novela “Deus Salve O Rei” e a briga protagonizada entre as personagens representadas por ela e Marina Ruy Barbosa.

Em seu tuíte, ficou evidente que ela se mostrou incomodada com o destaque dado para a ‘briga’ entre as atrizes e comentou:

“O certo seria dizer que Catarina e Amália brigaram de verdade. Eu e Marina estamos ótimas, obrigada!”

Os internautas adoraram o comentário da carioca e fizeram muitos comentários sobre o caso.

“Esse povo querendo causar intrigas entre vocês duas é um saco. Já basta a rivalidade na novela. Ansiosa pelo cenão!”, disse uma fã. “Realmente! quando li a matéria achei que fosse sobre literalmente vocês duas, depois que fui ver que era as personagens e que ambas foram altamente elogiadas, mal posso esperar por essa cena!”, declarou uma seguidora.


LEITE ADULTERADO




A fábrica do leite Godam, em Sapucaia, no Centro-Sul fluminense, foi fechada ontem por adicionar água ao leite que produz. Análises da Secretaria estadual de Agricultura, Pecuária, Pesca e Abastecimento feitas em dois lotes do leite UHT Integral Godam constaram que havia adição de 44% de água em cada caixa. Além disso, os lotes analisados foram vendidos com taxa de gordura de 0,26%, quando o índice mínimo exigido para o leite integral é de 3%.



Ariel Villanova
O seu amigo de todos os dias

Fotos  : Revista Veja
Fonte : Site Área Vip - Site UOL - Jornal Extra - Google - TV Foco - O Fuxico